sábado, 12 de agosto de 2017

Acender Fósforos


"Jogo fogoso, jogo perigoso"


Provérbio









Liguei o modo mecânico .

Deito-me tarde, durmo mal, acordo tarde depois de noites transbordantes de sonhos em demasia, muita gente , muita confusão, sempre casas, muito mar e fósforos.

O modo mecânico não é novidade. É uma habilidade que uso para passar o meu tempo de morcego sem danos pessoais ou colaterais. Só ligo ao que é importante, o resto fica em arquivo de memória para analisar quando estou sozinha e posso verificar objectivamente e atribuir a relevância que merece.

Os fósforos são aquisição onírica recente. Não sou nada destas coisas de signos ( apesar de ser Leão e de gostar dos predicados que atribuem aos leoninos) nem sequer de interpretações de sonhos. Atribuí o aparecimento dos fósforos nas minhas fases de REM, aos fogos que  lavram tristemente um pouco por todo o país,  cuja intensidade só é equiparada à da inundação  massiva de notícias sobre as frentes activas, playground de qualquer pirómano lascivo,  e o que os infelizes populares e bombeiros passam para os controlar até à extinção total  e   sem os apoios milionários que, como quase tudo em que se investe para o bem do País e das populações, funcionam pouco, funcionam mal ou não funcionam de todo. 

Mesmo assim, não resisti à curiosidade mística de procurar saber o significa sonhar com fósforos. Tudo bom. Amigos , vitórias, sei lá. Prender-se-á com a conquista do fogo ? É possível.
Tudo fantástico até  o  fósforo nos queimar ( no sonho, pois claro) ; aí são só desgraças, aflições e angustias.

Terá a ver com os dois loucos que andam a brincar com o fogo ?   É muito possível até.
É coisa que me trás frequentemente em sobressalto. Não quero acreditar que pessoas esclarecidas não saibam que o Game of Thrones é apenas ficção e que não se lançam dragões  nucleares contra pessoas, só porque sim, porque quem quer, pode e manda.
Isto é coisa de meninos mimados com birrinhas , o problema é não saber quem tem a caixa maior,  com mais fósforos e quem acende primeiro.









6 comentários:

  1. Com aqueles dois lunáticos nunca se sabe o que pode acontecer.
    Bjs, boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. vamos tentando não pensar nisso, o que se afigura cada vez mais complicado à medida que o tempo passa.
      Abraços a Oriente.

      Eliminar
  2. Uma forma muito interessante de abordar esta tragédia que se vai complicando cada vez mais.
    Gostei muito do texto.
    Boa semana.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  3. É muito difícil pensar e decidir pelos outros. AbraçO

    ResponderEliminar
  4. Além da conjugação harmoniosa da citação, texto e som, para a postagem, realço a tua lucidez e domínio das palavras para expressar bem as ideias, no que à preocupação dominante diz respeito: o(s) incendiário(s), em toda a extensão denotativa e conotativa do termo.
    Pura aflição, deveras!
    Acreditemos que haja sempre alguém a temperar o lume...
    Bjo, amiga

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Enquanto houver loucos poderosos, nunca teremos um dia de paz.
      É triste, mas verdadeiro.

      Eliminar

É aqui que me mandas dar uma curva